Estar em paz

Estar em paz

Estar em paz

Estar em paz

O melhor estado da vida, é estar em paz.

Com o tempo, costumamos descobrir que o melhor estado da vida não é estar apaixonado, e sim estar em paz.

Só quando uma pessoa consegue alcançar esse equilíbrio interior onde nada sobra e nada falta é que ela se sente mais plena do que nunca.

E como se tudo mudasse de dimensão. Nos tornamos mais generosos e abertos a experienciar a vida e o aqui e agora.

Assim, o amor pode até aparecer, se é o que você deseja, embora não seja uma necessidade ou uma missão aa todo custo.

É curioso como a maior parte das pessoas continua tendo como principal objetivo encontrar o parceiro perfeito (ou viável possível, como dizia um amigo), sem se dar um tempo de validação do eu sou.

A corrida da solidão, medo leva cada vez mais pessoas a experimentar relações rasas. O que não falta é aplicativos nos celulares para facilitar essas buscas. E uma indústria rentável, a carência. (me desculpe os usuários, mas gosto de olhar nos olhos, e sentir o cheiro).

Também não faltam os clássicos programas de televisão em horário nobre orientados para o mesmo fim. Buscamos e buscamos neste vasto oceano sem termos feito antes uma viagem essencial: a do autoconhecimento, a do entendimento do porquê.

Não sou sensacionalista, e aprecio a companhia de um amorzinho, um colo, beijos, presença e carícias, mas não estou no empenho a qualquer custo, digo quando temos que abrir mão do amor próprio para encontrar alguém.

 

“Nunca se pode obter a paz no mundo externo até que tenhamos a paz com nós mesmos.”
-Dalai Lama-

 

O fato de não ter realizado esta necessitada peregrinação através do nosso interior para investigar vazios e necessidades faz com que às vezes acabemos por escolher companheiros de viagem errados. (E importante entender o que fez algo que estava ali presente romper. Se não é pelo ego, desconheço a origem.

 

As relações efêmeras que acabam inscritas na solidão dos nossos travesseiros, tão cheias de sonhos rotos e lágrimas sufocadas, são apenas brigas com nós mesmos onde tentamos não levar em consideração o sentido daquela relação.  Tanto que são muitas as pessoas que passam grande parte do seu ciclo de vida saltando de pedra em pedra, de coração em coração, armazenando decepções, amarguras e desapontamentos tristezas.

No meio deste cenário, assim como disse Graham Greene no seu romance “Fim de Caso”, só temos duas opções: olhar para trás ou olhar para frente. Se andarmos de mãos dadas com a experiência e a sabedoria, vamos tomar o caminho certo: o do interior. É quando devemos arrumar o labirinto das nossas emoções para encontrar o tão precioso equilíbrio e estar de Paz.

David H Hawkins dedicou sua vida a entender e mapear as transformações das emoções.

E o que significa isso? Somos seres cíclicos e estamos em constantes mudanças, claro que nossas emoções são o que mais influência nossa vibração e estar em Paz.

Deixo uma dica preciosa para você neste texto.

Se quer entender o que se passa em suas relações, mergulhe na busca dos seus traumas e padrões. Muito vai entender sobre seus próprios comportamentos.

O Livro que quero indicar para sua apreciação e estudo é:

As cinco feridas emocionais

Autora:  Lise Bourbeau

Ela aborda de forma fácil e direta sobre as feridas da rejeição, injustiça, abandono, humilhação e traição, e ensina como reconhecer e superar os sentimentos que impedem a sua felicidade e seu estar em paz.

Super vale a leitura.

 

Boa sorte em sua busca e vida.

Por: Jane Sutanashi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com