amor

Amor

Amor

Então o que é o amor?

 

É algo que dói quando está em desarmonia, nos deixa vazios, incômodos, mas traz felicidade, amor, prazer e nos completa quando estamos em paz, sem a necessidade de ter razão.

Racionalizar o amor é o mesmo que dar densidade ao ar, cada coisa tem seu espaço e o amor é fluido e leve.

Onde encontramos o sentido na experiência do ser é maior. Tantas emoções, tantas coisas simples que exige o amor, mas vale cada instante.

Mas não se engane, ele tem algumas regras básicas: Você precisa estar vivo, ele acontece no tempo presente, no aqui e agora.

O Amor precisa ter algo de racional, o equilíbrio entre o sentir e o viver é um corpo inteiro, como uma árvore.

Precisa ter raiz, tronco, galhos, folhas, frutos, semente, e ser visitado por vários pássaros, onde se sentem seguros de fazer seus ninhos, porque existe beleza, proteção e harmonia.

O amor é compartilhar as coisas boas da vida, mas está para outro quando está precisando de apoio, atenção e colo. É também rasgar uma cerca no peito se for preciso para proteger o ser amado.

Amor é doação, simples, singela, verdadeira e sem frescura.

E um grande presente quando o ser amado, aceita ser amado.

Sem barganha, apenas com entrega e renúncia.

O amor é pura superação do ego e ter humildade de aceitar os erros, enganos e julgamentos, é ter a coragem de ser honesto com os próprios sentimentos e não calar mesmo que isso as vezes cause dor.

Ele fala baixo, suave e com gentileza, mas quando o ego se faz presente, ele pode ser guerra e aí precisamos abrir a escuta e aprender com o outro o que nos escapa aos ouvidos, olhos e sensações.

E ter a certeza que mesmo quando estamos cometendo horrores contra o outro de parar por um instante e respirar e se ausentar.  Se existe amor, as tempestades vão cessar e assim poderá ser acolhido, honrado e respeitado.

Pois o amor ele fala mais de renúncia do que rigidez.

Ele as vezes quando estamos com a mente fechada é uma guerra. Eu tenho razão, ou outro também, e não se encontra um pouco de equilíbrio, mas o que o torna belo é a busca verdadeira por vencer estas barreiras.

Ele  é uma escolha, eu escolho você e você me escolhe, é uma mágica simples se faz. Uma música, que só os amantes são capazes de ouvir.

Como escolher um lugar de encontro que tem um significa apenas para os dois.

Como um Encontro marcado de outros tempos, que já estava marcado, onde só precisava os amantes seguirem seu coração e está presente.

Ele foi escrito por tantos poetas, sonhadores, generais, pessoas comuns como eu e você. Ele é um regente de uma orquestra, que conhece todas as notas e também é o profundo silêncio.

Tantas coisas é o amor.

Como este aqui e agora, onde eu e meu amor, escrevemos estas palavras. Ele é junção e não separação, um pode sim completar a frase do outro, porque no amor tem o que mais buscamos, o equilíbrio.

Por: Jane Sutanashi e Antônio Cesar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com